domingo, 31 de janeiro de 2010

O Homem que é Deus



O Homem:
No Natal surgiu em meio à história mundial um homem totalmente integrado nela, mas em muito superior a ela: Jesus Cristo. Ele é inteiramente diferente, singular. Movimentou o mundo como ninguém antes ou depois dEle. A Encyclopaedia Britannica utiliza 20.000 palavras para descrever a pessoa de Jesus. Sua descrição ocupa mais espaço que as biografias de Aristóteles, Cícero, Alexandre Magno, Júlio César, Buda, Confúcio, Maomé ou Napoleão Bonaparte. O homem Jesus tornou-se o maior tema da história mundial. Sobre nenhum outro se escreveu mais do que sobre Ele. A respeito de ninguém se discutiu tanto quanto sobre Jesus. Ninguém foi mais odiado, mas também mais amado; combatido, mas também mais louvado. Sobre nenhum outro foram feitas tantas obras de arte, hinos, poemas, discursos, e compêndios do que sobre Cristo. Diante dEle dividem-se as opiniões – uns gostariam de amaldiçoá-lO, outros testemunham que sua vida foi radicalmente mudada por Jesus e enchida de esperança. Não é possível imaginar a história humana sem Jesus. Na época do Natal, milhões comemoram Seu nascimento consciente ou inconscientemente. Na Páscoa, lembra-se da Sua morte e ressurreição; na Ascensão, da Sua volta para Deus; e no dia de Pentecostes do nascimento da igreja que leva Seu nome, a igreja cristã. – Será que Ele é mais que um homem?


O Deus-Homem:
 A Bíblia diz que Cristo é, ao mesmo tempo e literalmente, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Lemos em 1 Timóteo 3.16: “Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele [Deus] que foi manifestado na carne...” E em 2 Coríntios 5.19 está escrito: “a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo...” A vida terrena de Jesus nos mostra que Ele foi ao mesmo tempo verdadeiro homem, mas continuou também verdadeiro Deus. Percebemos muitos contrastes em Sua vida, tanto provas da Sua inteira humanidade, como da Sua perfeita divindade. Por exemplo, Ele sentia cansaço, mas ao mesmo tempo podia chamar para Si os cansados e dar-lhes a paz (João 4.6; Mateus 11.28). Jesus teve fome, mas era o próprio pão da vida (Mateus 4.2; João 6.35). Cristo teve sede, sendo ao mesmo tempo a água viva (João 19.28; João 7.37). Ele enfrentou a agonia da morte, mas curou todos os tipos de doenças e aliviou qualquer dor. Jesus foi tentado pelo diabo, mas expulsou demônios (Lucas 4.2; Mateus 8.31). Ele vivia no tempo e no espaço, mas era desde a eternidade (João 8.58). Jesus disse: “...o Pai é maior do que eu”, e também: “Eu e o Pai somos um”, ou: “Quem me vê a mim vê o Pai” (João 14.28; João 10.30; João 14.9). Ele mesmo orava, como também respondia às orações (Lucas 6.12; Atos 10.31). Ele derramou lágrimas junto à sepultura de Lázaro, mas tinha o poder para ressuscitá-lo (João 11.35,43). Ele morreu, mas é a vida eterna – Jesus é o homem perfeito de Deus e o Deus perfeito dos homens.

Por que Deus tornou-se Homem?
Ele veio para revelar Deus a nós. Em Jesus Cristo, Deus se manifestou da forma mais clara. Ele é a prova de que Deus não se afasta do pecador, mas se volta para ele e ama todos os homens. Jesus veio para convencer este mundo de sua pecaminosidade e necessidade de redenção. Ele veio para morrer, como homem sem pecado, pelo pecado dos homens, para se entregar como sacrifício por eles, por uma humanidade que tinha caído através do primeiro homem, Adão. Agora, os homens podem ser salvos por Ele. Por isso, Jesus é chamado também de “último Adão” (1 Coríntios 15.45). Ele veio para destruir as obras do diabo, para tirar o poder da morte e para vencer o pecado. Tornar-se homem em Jesus foi a única possibilidade de Deus resgatar um mundo perdido: “Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3.17).
Ele voltará: Jesus voltará como era (Atos 1.11). Do modo como foi e subiu ao céu, no mesmo corpo, mas glorificado, Ele retornará. Jesus, o homem que é Deus, o filho de Maria, a criancinha de Belém, o jovem de Nazaré, o Mestre da Judéia que curava, o homem do Calvário, voltará como Rei da glória e como Senhor dos senhores.

Muitos homens, conquistadores, reis e ditadores, já quiseram ser deuses, mas todos fizeram o sangue de homens ser derramado por eles. O imperador romano Augusto (sublime), que conhecemos da história do Natal, fazia-se chamar de “kyrios” (senhor) e até de “soter” (salvador). Mas o Deus que se tornou homem deu Seu sangue por este mundo. Por isso, somente Ele é o Salvador, que diz também a você: “...quem crê no Filho tem a vida eterna...” (João 3.36). No homem perfeito Jesus, Deus torna perfeito a todo que O aceita em seu coração – você crê nEle.

Texto retirado de: http://www.chamada.com.br/

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O desafio da Integridade




Os primeiros oito versículos do Salmo 119 falam muito de integridade. Fui refletindo um pouco sobre cada versículo e escrevi o que entendi. Veja o que você acha e comente. Pode discordar, criticar, contestar. Pode até concordar. Obrigado.
Verso 1: Eu quero ser íntegro para agradar a Deus


Segundo um professor que tive, ser íntegro é “fazer o que se fala e falar o que se faz”. É muito difícil pra gente tanto ser praticante pleno do que a gente prega quanto ser, integralmente, transparente sobre o que faz. Por isso, ao clamar pela própria integridade, o autor do Salmo coloca-se um enorme desafio.
Verso 2: Quero buscar o Senhor de todo coração


Eu não posso ser morno.  Não posso fazer triagem dos momentos em que deva ou não manter-me sintonizado com Deus, seu caráter e seus preceitos. Tenho de “ir com tudo”. Tenho de contrastar cada ato meu com os preceitos de Deus o dia todo, a cada momento. Tenho de reconhecer identidade entre mim e o Senhor o tempo todo.
Verso 3: Quero me afastar do mal atentamente


 Eu tendo a ser seletivo e “me afastar do mal no atacado”. Creio que Deus está me dizendo que tenho de viver isso também “no varejo”. Não são “só” os grandes males que eu devo evitar. Todo o mal é contrário aos preceitos de Deus.
Verso 4: Quero guardar os preceitos que Deus revelou

Os preceitos de Deus não são inventados, eles são revelados. Revelados por meio de pessoas que falaram o que, segundo criam, Deus tinha lhes falado. Depois desta revelação, esses preceitos foram escritos. A unidade deles todos atesta a credibilidade da revelação. Daí, guardar esses preceitos passa a ser uma conduta difícil de contestar.
Verso 5: Quero que esses preceitos criem raízes em mim para eu os cumprir de maneira automática

Quando os preceitos de Deus estão “lá dentrão” de nós, lá, desde o fundão de nossa alma passando por nossos mecanismos de escolha contínua de conduta, fica mais automático, mais natural o cumprimento dos mesmos por cada um de nós.
Verso 6: Não posso me envergonhar dos preceitos de Deus

Se, em alguma situação, a fim de cumprir esses preceitos, eu tiver de parecer fraco ou “estranho” junto às outras pessoas, quero escolher cumpri-los a despeito do constrangimento que isso possa me trazer.
Verso 7: Quando eu tiver aprendido, conseguirei ser íntegro na maneira que eu adoro o Senhor

Guardando os preceitos de Deus, desviando-me do mal “no atacado e no varejo”, sintonizando-me com Deus o tempo todo, arraigando-me nos preceitos de Deus e não deixando de cumpri-los mesmo quando isso me for constrangedor.
Essa é a maneira de vencer o desafio da integridade.
Verso 8: Socorro!

Sinceramente, sinto-me incapaz de cumprir tudo isso. Tenho medo de não conseguir. O autor do Salmo também tinha! E quando reconheceu isso tudo, ele disse “não me desampare completamente”.
Eu oro isso também.
Por Douglas Monaco

Como ser cheio do Espírito Santo?


E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Ef 5: 18.


Paulo escreve através da carta aos Efésios como fazer para ser cheio do Espírito Santo.
Ele declara que a presença do Espírito Santo em nós depende de como nós vivemos.

Afinal de contas como ser cheios do Espírito Santo?

Note que Paulo usa o verbo encher no imperativo passivo presente “enchei-vos”, ou seja, significa ser cheio sempre.
O que mais temos visto hoje em dia nas igrejas é a existência de cultos da busca do Espírito Santo.
Paulo quer ensinar com esse texto que ser cheio do Espírito Santo é bem mais do que participar de um desses cultos ou de um mover.
Primeiro ele fala que não tem como ser cheio do Espírito e do vinho ao mesmo tempo. Ou se enche de vinho onde há contenda, ou se enche do Espírito onde existe Vida.

Princípios para ser cheio: Ef 5: 19 a 21

- o primeiro principio que Paulo cita para uma pessoa ser cheia do Espírito é sobre o Falar.

“Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais;”

Como pode uma pessoa ser cheia do Espírito e falar mal do irmão?
Será que da nossa boca tem saído palavras que tem adorado ao Senhor?
Falar com salmos, hinos e cânticos espirituais é quando se reunir com os irmãos falar das maravilhas que deus tem feito e não falar mal dos outros.

O que tem saído da nossa boca?

- o segundo é com o Coração.

“Cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;”

O que sai da boca do cristão tem que ser de coração e não algo mecânico.
A hora em que o cristão mais mente no culto é na hora do louvor.
Cantamos que amamos a Deus mais odiamos o nosso irmão e fazemos de tudo para tomar o seu lugar não importa qual seja o meio usado para alcançar, mesmo que não estão de acordo com a Palavra de Deus.

Será que desta maneira estamos salmodiando a Deus?

- o terceiro é dar sempre Graça.

“Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;”

Não é novidade ver as pessoas reclamarem da economia, dos problemas sociais, da falta disso ou daquilo.
O que raro,é encontrar as pessoas agradecendo por algo, mesmo que as vezes parecem pequenas.
Nem sempre gostamos de tudo o que nos acontece mais temos que começar a amadurecer e realmente entender que todas as coisas que nos acontecem cooperam para o nosso bem que amamos a Deus.
Paulo fala para dar graças sempre, ou seja, constantemente e não só de vez em quando.

- o quarto princípio é Sujeitar.

“Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.”

Este é talvez o princípio mais difícil de ser praticado.
A palavra sujeitar tem como significado tornar sujeito.
Paulo fala aqui que devemos sujeitar uns aos outros no temor do Senhor.
Isso significa que mesmo quando não concordamos com o outro, afinal somos diferentes uns dos outros por isso pensamos diferentes, devemos respeitar e deixar que Deus coloque as coisas no seu lugar através do seu espírito e não por força, que é o tem mais acontecido dentro das igrejas.
Em nossas igrejas modernas e luxuosas é cada vez mais proibido pensar diferente ou discordar dos discursos vazios que tem se tornado as pregações, na maioria sem qualquer base bíblica, já que os textos da Bíblia têm sido totalmente distorcidos para agradar aos ouvintes falando o que eles querem ouvir e não o que Deus quer falar.
Pois aqueles que pensam diferente são de alguma maneira levados a ficar calados pela liderança que se sente ameaçada com medo de perder os seus cargos.
Sim cargos, pois os que assim agem possuem cargos e não ministérios, cargos são dados por homens e ministérios são dados por Deus.
Estamos cheios do Espírito ou do vinho?

Analisando seriamente apenas estes quatro princípios será que realmente somos cheios do Espírito Santo?


Luís Antonio Ramos

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A Graça Preciosa




“Que motivação recebemos ao ver a graça de Deus alcançar as pessoas?”


Para responder a essa pergunta, quero usar as palavras de um mártir da Igreja, o pastor e teólogo luterano Dietrich Bonhoeffer, morto por enforcamento em 9 de abril de 1945, no campo de prisioneiros de Flossenburg, Alemanha, por se opor ao Nazismo. Suas palavras podem nos ajudar a entender a motivação que surge ao contemplarmos a graça preciosa de Deus.


“A graça barata é a graça que nós dispensamos a nós próprios. A graça barata é a pregação do perdão sem arrependimento, é o batismo sem a disciplina de uma congregação, é a Ceia do Senhor sem confissão dos pecados, é a absolvição sem confissão pessoal. A graça barata é a graça sem discipulado, a graça sem a cruz, a graça sem Jesus Cristo vivo, encarnado.


A graça preciosa é o tesouro oculto no campo, por amor do qual o homem sai e vende com alegria tudo quando tem; a pérola preciosa, a qual o comerciante se desfaz de todos os seus bens para adquiri-la; o governo régio de Cristo, por amor do qual o homem arranca o olho que o escandaliza; o chamado de Jesus Cristo, o qual, ao ouvi-lo, o discípulo larga as suas redes e o segue.
A graça preciosa é o evangelho que há de se procurar sempre de novo, o dom pelo qual se tem que orar, a porta à qual se tem que bater.
A graça é preciosa porque chama ao discipulado, e é graça por chamar ao discipulado de Jesus Cristo; é preciosa por custar a vida ao homem, e é graça por, assim, dar-lhe a vida; é preciosa por condenar o pecado, e é graça por justificar o pecador. Essa graça é sobretudo preciosa por tê-la sido para Deus, por ter custado a Deus a vida de seu Filho – “fostes comprados por preço” – e porque não pode ser barato para nós aquilo que para Deus custou caro. A graça é graça sobretudo por Deus não ter achado que seu Filho fosse preço demasiado caro a pagar pela nossa vida, antes o deu por nós. A graça preciosa é a encarnação de Deus…”


Agora nos resta perguntar: Como respondemos a tão preciosa graça de Deus?


Pastor Eli Roberto


Texto retirado de: http://missaoportasabertas.wordpress.com/

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Vai Valer a Pena



Por Aline Santana

Existem momentos nos quais a angústia bate à nossa porta
E traz consigo o nosso passado, nossas feridas, nossas limitações…
E em meio a toda a fraqueza do momento, a dor se torna mais forte e fica difícil impedí-la de entrar
Mas mesmo em lágrimas é possível ouvir a voz do Pai
Então o choro vai diminuindo,  a sua paz enche o nosso coração
E ainda que atribulados, nos sentimos seguros em seus braços
Então, o silêncio daquele precioso momento nos permiti ouvir claramente a sua voz
Voz que nos diz:
Não tenha medo!
Conheço a sua dor
Eu estou aqui!
E tenho visto as suas lágrimas
Sei que muitas vezes você se pergunta: Por que preciso passar por tudo isso ? Por que tudo é tão cruel?…
Mas Eu te amo
Conheço seu desespero e sei  profundamente como ele é
Ele te deixa sem forças… a ponto de desistir
Eu também  passei por coisas ruins
Me senti desamparado
Mas em meio a dor, sofrimento, humilhação, rejeição, traição…
Não desisti!
Me entreguei na cruz
Por amor! Por você!
Por isso não desista
Cumpra o chamado
Ame!
E naquele grande dia…
Verá o quanto tudo valeu a pena…

sábado, 23 de janeiro de 2010

O que Temos feito com Jesus?




Meditando na palavra de Deus mais precisamente no evangelho de Mateus capítulo 25 versículo 34 a diante, comecei a pensar O que Temos feito Com ou Por Jesus?
Nesse capítulo 25 Jesus esta falando aos discípulos sobre como será o juízo final que esta por vir.

“E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória”;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; " Mt 25: 31,32

Mais afinal o que isto significa, porque Jesus faz essa comparação?

"E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda." Mt 25: 33.

Jesus faz essa comparação para dizer que existem dois tipos de animais e que um dia vai separar esses uns dos outros.
O interessante é que estes animais na verdade estão representando dois tipos de pessoas, cristãos, igrejas.
Jesus esta falando que existe dois tipos de igrejas, cristãos, pessoas, e as denomina de "ovelhas e bodes”.
No texto Jesus mostra claramente como agem as ovelhas e os bodes.
Através das atitudes desses dois tipos de animais Jesus quer mostrar como as pessoas tem tratado ele.
O que nós como "pessoas, cristãos e igreja” temos feito com Jesus?

Porque tive fome, e não me destes de comer;

Jesus esta falando aqui que ele tem fome você sabia. Como assim, Jesus tem fome?
Sim, quando uma pessoa em qualquer lugar do mundo estiver passando fome é Jesus que esta passando fome, já que as pessoas foram criadas a imagem e semelhança de Cristo.
Não só fome física mais fome espiritual, já que a Bíblia nos diz que:

“Nem só de pão viverá o homem, mais de toda palavra que sai da boca de Deus." Dt 8:3.

O que nós como igreja temos feito às pessoas que estão com fome?
Será que as pessoas que entram em nossas igrejas têm recebido o alimento espiritual que necessitam?
E o alimento físico, quantas famílias a igreja tem ajudado?
E o Haiti, as pessoas que moram lá tem vivido com o problema da fome a anos e não só agora. Porque a "igreja cristã"  só lembrou deles agora?
A já sei, é porque só agora esta aparecendo na mídia.
Quando a igreja alimentar a fome dos povos, estara alimentando a fome de Deus.

Porque tive sede, e não me destes de beber;

Jesus esta dizendo aqui que ele tem sede, você sabia disso?
Existem milhares de pessoas no mundo que não tem água potável para consumir, e estão morrendo de sede.
A água que é essencial para a sobrevivência de uma pessoa e de todo o planeta.
A maior parte do planeta é formada por água, só que 97% é salgada e imprópria para consumo, restando apenas 3% de água doce boa para consumo.
O problema é que o homem tem contaminado esses 3%, e aí como vamos fazer?
Mais o principal é a sede espiritual em que essas pessoas estão passando e não conseguem saciar, já que até dentro de nossas "igrejas" tem faltado Jesus, a fonte de água viva.
Quantas pessoas tem ido as igrejas sedentas por Jesus mais não tem permanecido pois Jesus não esta lá.
Elas tem voltado para as suas casas mais sedentas ainda, pois ou não havia água ou a água não estava pura e  boa para consumo.

"Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de  água a jorrar para a vida eterna." Jo 4: 14


Quando a igreja saciar a sede dos sedentos, estara saciando a sede de Jesus.

Porque Sendo estrangeiro, não me recolhestes;

Deus enviou Jesus para morrer por um povo e os acolher no seu reino, Jesus através do Espírito Santo quer habitar em nós, ele quer ser acolhido como uma pessoa, você sabia disso?
Na maioria das vezes nós como "igrejas" temos tratado Jesus como estrangeiro, ou seja, alguém em quem não confiamos, não temos intimidade, amizade, um desconhecido e ele tem ficado do lado de fora de nossas vidas e nossos "cultos”.
Jesus diz aqui que devemos acolher tratar bem, ser amorosos com todos e não só com alguns como tem acontecido.
Não são novidades nem dentro das igrejas que algumas pessoas tem sido tratadas de formas especiais só por causa da posição social, o valor do seu dízimo ou que fazem de tudo para agradar aos líderes.
Como temos acolhido as pessoas?
Como temos tratado os irmãos e os estrangeiros?

“Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns, não sabendo, hospedaram anjos”. Hb 13: 2


Quando tratamos e acolhemos bem as pessoas, estamos tratando e acolhendo bem a Deus.

Porque estando nu, não me vestistes;

Antes de Adão e Eva pecar a nudez significava pureza, mas após a queda a nudez quando exposta a todos significa pornografia, portanto pecado, tanto é que o Senhor os cobriu com túnicas de peles.
Portanto as vestes significam proteção, cuidado, provisão de Deus para as pessoas.
Quando pensamos em uma pessoa nua percebemos que a pessoa esta exposta, sem proteção e esta com falta de alguma, coisa por isso esta sem roupa.
Jesus às vezes se senti nu, você sabia?
Paulo fala através da carta aos Efésios no capítulo 6 sobre a armadura de Deus no qual o cristão terá proteção e armas espirituais.
O que mais tem nas igrejas hoje é cristão totalmente desprotegido e desarmado, pois uma das armas apresentadas em Efésios é a verdadeira palavra de Deus, e é o que tem se tornado cada dia mais escasso em nossas igrejas, a verdadeira Palavra de Deus.
Às vezes o Jesus que temos apresentado as pessoas é o Jesus morto e não o ressuscitado que tem poder para trocar as vestes de luto por vestes de louvor.
Quais as vestes temos oferecido aos nossos irmãos?

Quando colocamos vestes nas pessoas, estamos vestido a Deus.

Porque enfermo, e na prisão, não me visitastes.

O autor do livro de Hebreus nos fala sobre o cuidado que a igreja tem que ter com os que estão enfermos e presos.

“Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo”. Hb 13: 3

Jesus às vezes se sente preso e enfermo você sabia?
Uma das áreas que a igreja mais esta falhando nos dias de hoje é o cuidado com os presos e enfermos.
Logo a “igreja” que fala tanto em cura e libertação tem esquecido das pessoas que se encontram nesse estado.
Isso tem acontecido não só com as pessoas que estão fora das igrejas mais principalmente com os que estão dentro das igrejas.
Quantas pessoas que estão dentro das igrejas e estão presas em cadeias e por não conseguir servir a Deus, pois estão presas, tem se afastado de Deus.
E quantas outras estão enfermas precisando ser curadas não só fisicamente mais principalmente espiritualmente, já que o evangelho pregado em nossos púlpitos não tem curado nem libertado mais ninguém.
E o que nós como “igreja” temos feito com essas pessoas?

Quando visitamos os presos e enfermos, estamos  visitando a Deus.

“Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? Ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? Ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mt 25: 34-40

Se Jesus esta dizendo que quando fazemos essas coisas fazemos a Ele!

O que temos feito com Jesus?

Luís Antonio Ramos

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Entendendo a Reforma: Os Cinco Solas






No dia 31 de Outubro de 1517, na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, Lutero afixou as suas 95 teses que acabaram provocando o grande movimento religioso, conhecido como a Reforma do Século XVI. Nelas Lutero convidava os interessados a debater a questão das indulgências (que eram vendidas para a construção da Basílica de S. Pedro, em troca de perdão de pecados) e os males que esse tráfico religioso podia acarretar. Era costume na época afixar em lugares públicos temas ou teses para debate e convidar os interessados para discuti-los. Embora ninguém tivesse comparecido para o debate, em pouco tempo toda a Alemanha conhecia as teses de Lutero, que lhe custaram á excomunhão, mas que representaram também o começo da obra de purificação da Igreja e seu retorno à verdade. 
Em suas teses, Lutero questionava o poder (ou mesmo a intenção) do Papa de perdoar pecados ou de isentar alguém de penas, a não ser aquelas por ele mesmo impostas. Negava que esse perdão (de penas ou penitências) pudesse se estender aos que já haviam morrido e que, porventura, estivessem no purgatório. Para ele, só o arrependimento, seguido de atos de amor e penitência, com ou sem carta de perdão (indulgência) podia realmente perdoar pecados. Destacava o valor da Palavra de Deus, a qual não deveria ser silenciada em benefício da pregação das indulgências.
Foi o estudo da Bíblia que revelou quão longe a Igreja estava afastada da verdade e a trouxe de volta à pureza de sua crença primitiva. A Reforma restituiu à Igreja a crença em doutrinas chaves, que se tornaram essenciais para a sua pregação e para distingui-la dos erros que continuaram e ainda são mantidos pela Igreja Romana até os nossos dias. É a importância dessas doutrinas, conhecidas por suas designações latinas, Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, Sola Fide e Soli Deo Gloria, que quero apresentar, ainda que de forma breve, neste estudo.


Sola Scriptura: "Somente a Escritura"

Só a Escritura é a regra inerrante da vida da igreja, através da Palavra de Deus vidas podem ser salvas, curadas e libertas.A Palavra de Deus traz conhecimento, aproxima Deus das pessoas.



O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. Oséias 4: 6


Mas a igreja evangélica atual na prática não está sendo guiada pela bíblia e sim pela cultura. 
Os “líderes" atuais têm dado mais valor a experiências sobrenaturais, moveres, e alguns tipos de "unção" do que na Palavra de Deus.Porque será que a igreja esta doente? 
Só a Escritura e toda a Escritura! Não precisamos de outra fonte para saber o que devemos crer e como devemos agir. Hoje há uma tendência para se colocar a experiência humana e supostas revelações do Espírito no mesmo nível de autoridade das Escrituras, por parte de alguns grupos evangélicos. Na prática, às vezes essas experiências acabam se tornando mais desejadas e tidas como mais valiosas do que o próprio ensino das Escrituras. Tomam hoje o lugar que, no passado, tomava a Tradição. É preciso que voltemos ao princípio da Sola Scriptura, se quisermos ser realmente cristãos nas práticas. A Escritura, e não a nossa experiência subjetiva deve ser o nosso critério de verdade. Nossa pregação não deve visar o que agrada aos homens, mas o que agrada a Deus, já dizia Lutero. 


Solus Cristus: Somente Cristo


A Bíblia diz que ”há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus" 1 Tm 2: 5


O que mais se vê hoje em dia são pessoas procurando vários métodos para se achegar a Deus, é campanha disso, sete passos para isso, é jejum daquilo, mais a Bíblia diz que o único caminho que nos leva a Deus é Jesus. Essas atitudes têm levado o "povo de Deus" a adorar e depender mais dos meios do que a Jesus que é o único meio de chegar a Deus.
Quando o povo de Listra quis adorar a Paulo e Barnabé, sua resposta foi a seguinte:

Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles. At 14:15


Sola Gratia: Somente a Graça


Sola Gratia esta intimamente ligada ao princípio do Solus Cristus.


Paulo diz que "pela graça" que somos salvos, e não por outros meios. Ef 2: 8


Se olharmos para algumas igrejas "evangélicas" hoje vamos ver que muitas delas de uma maneira sutil tem cobrado indulgências das pessoas para alcançarem à salvação, e receber bênçãos.
Aquilo que motivou Lutero a brigar contra o Papa e as autoridades da igreja romana pela reforma da igreja, esta voltando a ser implantada, só que agora pela igreja evangélica. Aonde esta a Graça de Deus nisso tudo?
A Graça de Deus tem sido substituída pelas novas indulgências.

E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. 2 Cor 12:9


Sola Fide: Somente a Fé


Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Hb 10: 38


Se olhar para dentro de nossas igrejas vamos nos lembrar de várias pessoas que ja passaram por ela mais por um motivo ou outro ja não estão mais la.Porque será?
O que mais tem se pregado dentro das igrejas é o evangelho da prosperidade, e o evangelho de auto ajuda, onde se a pessoa for um dizimista fiel ela prosperara, e tudo que ela precisar ela vai ter, ou todos seus problemas vão acabar.
Será que foi realmente isso que Jesus prometeu?
Muitas pessoas não têm encontrado a tal riqueza dentro das igrejas, e nem todos os seus problemas estão sendo resolvidos e por isso elas tem se decepcionado com Deus e o abandonado, pois não aprenderão a viver pela fé, pois não foram ensinadas.


Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Fl 4: 12,13 

Soli Deo Gloria: Glória Somente a Deus

Dar glória somente a Deus significa que ninguém, nem homens nem anjos, deve ocupar o lugar que pertence a Ele, na igreja e em nossa vida, porque somente Ele é o Senhor.

Nossos interesses substituíram os de Deus nós estamos fazendo o trabalho Dele do nosso modo, e não estamos dando a Ele a glória devida. A perda da centralidade de Deus na vida da igreja de hoje é visível e lamentável. É essa perda que está permitindo transformar o culto em entretenimento, a pregação do evangelho em marketing, o crer em técnica, o ser bom em sentir-se bem e a fidelidade em ser bem-sucedido. Como resultado, Deus, Cristo e a Bíblia vêm significando cada vez menos para muitos de nós. Deus não existe para satisfazer as ambições humanas, os desejos, os apetites de consumo, ou nossos interesses espirituais particulares. Precisamos nos focalizar em adorar e glorificar a Deus, e não em satisfazer nossas próprias necessidades. Deus é soberano no culto, e não nós. 


Eu sou o Senhor, este é o meu nome; a minha glória, pois, não darei a outro, nem a imagens o meu louvor. Isa 42: 8 


Não podemos glorificar a Deus se não pregarmos apenas a sua Palavra, crermos somente em Cristo, dependermos somente da sua Graça, ter  apenas em Deus e dar somente a Ele toda Glória

Soli Deo Gloria
Luís Antonio Ramos

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A Questão de Ser Discípulo



Por Fabiana Farias
Quando nos convertemos sempre tem aquele irmão que você conheceu que quer te apresentar melhor o Cristo ao qual você se entregou fazendo assim um discipulado. Ou seja, já que você é novo convertido e desfruta de uma novidade de vida, precisa conhecer melhor a esse Cristo que agora está no comando de tudo em sua vida…
Mas na verdade ser discípulo vai muito além do que apenas entregar a vida a Cristo. É preciso conhecer sua palavra, o Jesus homem, sua autoridade, mandamentos e ensinamentos, ou seja, Antigo e Novo Testamento, onde desde o Éden Jesus foi profetizado pelo Pai.
Qual a diferença entre os discípulos da Igreja Primitiva e nós, “discípulos de hoje?”.
 A simplicidade é uma delas. Os discípulos largavam, literalmente, suas famílias, trabalhos, vida social, sonhos etc. para seguir o Mestre. Infelizmente isso está bem distante de nós.
Até para ser feito missões em qualquer lugar do mundo lutamos para que o chamado se estenda a nossa família, porque acreditamos que sem ela não vamos conseguir existir ou realizar aquilo que nos foi proposto.
Na verdade apenas o que precisamos é seguir o Mestre!
No Novo Testamento a palavra discípulo ocorre 269 vezes e cristão apenas 3 vezes, sendo que cristão  foi citada a primeira vez referindo-se aos discípulos. Eram pessoas mais que especiais. Pessoas que mesmo entendendo suas fraquezas, necessidades e tendo seus próprios objetivos largaram tudo para ser o que lhes estava sendo proposto. 
Eles seguiam Jesus em atitude de estudo, obediência e imitação.
Como podemos agir como os discípulos da Igreja Primitiva nos dias de hoje? Difícil não é?
Abandonamo todos, somos obedientes, estudiosos da palavra e acima de tudo imitadores de Jesus? Nossas rotinas, famílias, empregos nos permitem isso? E por não permitirem deixaremos esse modelo de discípulado ser tão distante de nós? Podemos ser cristão sem ser um discípulo? Isso nas igrejas hoje em dia é claramente algo opcional.
A questão de ser discípulo não é fácil!                                                                 
É matar o velho homem a todo o momento e dizer não a carnalidade. A nossa tarefa é saber frear quando é preciso. Descansar acima de tudo em Deus e dividir o julgo pesado que carregamos com Ele.
Cristo é simples, coração e atitudes puras, santo, obediente, leal, amável, justo, comprometido com o reino e fiel a Deus.
Com o que foi acima citado podemos perceber que precisamos buscar ser mais parecidos com Cristo!
A quem estamos dando ouvidos?  Quem está no controle?
Precisamos estar com Jesus, sempre para poder aprender dele assim como aconteceu com os discípulos. Para não perdermos o foco, precisamos buscá-lo de todo o coração, focar nossas atitudes e pensamentos nele, para que a sua vontade possa ser cumprida em nós.
Minha oração é para que cresçamos na fé e possamos andar, sem deslizar, junto com Cristo, que o mundo possa nos reconhecer como discípulos de Jesus assim como aconteceu na Igreja Primitiva.
O custo é bem alto, mas a recompensa é grandiosa!!!

domingo, 17 de janeiro de 2010

Cristianismo e Ateísmo




Por Rev. Augustus Nicodemus Lopes

Entenda o que o ateísmo, e as suas diferentes formas de manifestação no mundo moderno


O que é o ateísmo? A palavra “ateu” vem do grego “a” (sem) e “theos” (deus). É a negação teórica ou prática da existência­ de uma divindade. O sentido do termo tem variado consideravelmente na história. Até mesmo os cristãos primitivos foram considerados ateus, por não crerem nos deuses greco-romanos.
Na cultura ocidental moderna onde vivemos, predomina o monoteísmo cristão (a crença na existência­ de um único Deus). Portanto, ateu é quem nega a existência de uma divindade transcendente, perfeita, criador pessoal do universo, como afirmam os cristãos (e também, judeus e muçulmanos).
No mundo moderno, existem diversas formas de ateísmo que de maneiras variadas negam a existência de Deus:


Ateísmo filosófico. Pessoas de muita influência na história da humanidade têm atacado diretamente o conceito de religião em geral e do cristianismo em particular, como Marx, Freud, Feuerbach, Nietzche, Sartre. De formas diferentes­, afirmam que não se pode provar racionalmente que Deus existe. Não há muitos ateus filosóficos no Brasil (menos de 2% na última pesquisa da VEJA). Entretanto, é bem maior o número daqueles que, sem se declararem ateus, acreditam em alguns dos pontos do ateísmo.


Panteísmo. Do grego “pan” (tudo) e “theos” (deus). Ensina que tudo é deus e deus é tudo. Nem todo ateu é sem religião. Budistas e taoístas (religiões orientais) não acreditam num deus pessoal, mas numa força cósmica que penetra e une todas as coisas.


Politeísmo. Do grego “poli” (muitos) e “theos” (deus). Crê na existência de muitos deuses. Rejeita o conceito de um único deus pessoal, perfeito e criador do universo.


Deísmo. Acredita num deus pessoal, perfeito e criador do universo, mas nega que ele se envolva na vida diária das pessoas e na história do mundo.


Ateísmo prático. Muitos professam crer num deus, mas vivem como se ele não existisse ou fizesse diferença.


A Bíblia tem muito a dizer sobre o ateísmo:
1- É uma tolice que tem raiz no coração depravado do homem, Sl 14.1; 53.1;

2- É um esforço do homem em negar o que sua consciência diz, Rm 1.18-23;

3- Até os animais saberiam dizer que Deus existe, Jó 12.7-10.


Existem duas grandes dificuldades com o ateísmo em geral:


É contrário à razão e à ex­periência humana. A história tem provado vez após vez que é impossível suprimir o desejo pelo divino que existe no coração da humanidade (de qualquer época, em qualquer lugar). O ateísmo não consegue dar descanso à mente e ao coração humano. Após um período onde o ateísmo pareceu triunfar (racionalismo) a humanidade retorna outra vez ao misticismo. A mesma história testifica que existem profundos instintos religiosos dentro do peito humano. Negar isso não é cientifico. De onde vêm esses instintos? “Seria irracional admitir a existência desses desejos e tendências e ainda assim acreditar que eles não correspondem a nada que exista fora do homem, ou que essa tendência não tenha qualquer alvo” (Reville).


Não explica a existência do homem e do universo em geral. Não se pode negar a existência do homem e do universo. Mas, de onde vieram? O ateísmo não tem respostas adequadas a essas perguntas. O evolucionismo materialista já está sendo descartado, como descartados foram antes dele outras teorias para explicar o surgimento do universo, pois não explica a evidência clara de que existe propósito, ordem e harmonia no universo.


Diante da possibilidade de encontrar pessoas assim, o cristão deve:
1- Orar sempre, pedindo sabedoria para responder ,Tg 1.5;

2- Ter respostas razoáveis aos argumentos dessas pessoas ,1 Pd 3.15;

3- Lembrar que somente Deus pode iluminar o entendimento das pessoas ,1 Co 2.9-16.


Finalmente lembremo-nos que o pior tipo de ateísmo é aquele dos cristãos somente de nome, mencionados por Paulo:


“No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras” Tito 1:16.


Texto retirado de: http://www.ipb.org.br/

sábado, 16 de janeiro de 2010

A ESCOLHA DA LIDERANÇA DA IGREJA




   

                                    
 Por Hernandes Dias Lopes
                                               

O Senhor Jesus é o nosso supremo modelo. Ele é o referencial absoluto para quem a igreja deve olhar na hora de tomar as suas decisões. No que concerne à escolha da liderança da igreja, precisamos aprender com o método de Jesus. Como ele escolheu os seus discípulos? Que critérios ele usou nessa escolha? Como ele trabalhou com a sua liderança?


1. Ele buscou a direção do Pai na escolha - Jesus passou uma noite orando em favor dessa sublime causa. Ele buscou a vontade e a direção do Pai para fazer essa escolha. Ele escolheu os seus discípulos pela orientação do céu. Devemos, de igual modo, escolher a liderança da igreja em espírito de oração. Devemos submeter a nossa vontade à vontade sábia e soberana de Deus. Os critérios humanos são falhos. As aparências enganam. Se não seguirmos a vontade de Deus, conforme estabelecida em sua Palavra, podemos fazer escolhas erradas. Por esta causa devemos nos colocar de joelhos diante do Pai. É a vontade de Deus que deve prevalecer, e não a nossa, na escolha dos líderes da igreja.


2. Ele escolheu homens para andarem com ele - Jesus designou os doze apóstolos para estarem com ele. A maior prioridade da liderança da igreja não é fazer a obra de Deus, mas ter comunhão com o Deus da obra. O que nos qualifica para a liderança não é o ativismo, mas a intimidade com Deus. O ser vem antes do fazer. A vida vem antes do trabalho. Deus está mais interessado em quem somos do que no que fazemos. Deus está mais interessado em caráter do que em carisma. Ele está mais interessado em nossa vida do que no nosso trabalho. Jesus chamou os apóstolos para estarem com ele. Esse é o primeiro chamado da liderança. Não podemos apascentar o rebanho se não conhecemos intimamente o Senhor do rebanho.


3. Ele comissionou e capacitou a liderança para fazer a sua obra - Os discípulos, chamados e treinados, devem pregar a Palavra, expelir demônios e orar pelos enfermos. O ministério é de proclamação, libertação e consolo. A liderança não é aquela que simplesmente manda fazer, mas a que vai à frente do rebanho, como exemplo do rebanho, fazendo a obra de Deus no poder do Espírito Santo. A liderança da igreja precisa estar comprometida com a proclamação da Palavra, com a libertação dos cativos e com o alívio dos que sofrem. Ela deve ser exercer um ministério querigmático e terapêutico.


4. Ele chamou homens diferentes para fazer parte da liderança da igreja - Jesus escolheu doze homens totalmente diferentes. Escolheu um homem temperamental e falante como Pedro. Investiu em pessoas de estopim curto, filhos do trovão, como Tiago e João. Chamou pessoas pacatas como André; pragmáticas como Filipe; preconceituosa como Bartolomeu; incrédula como Tomé. Chamou um homem da situação como Mateus e um oposicionista revolucionário como Simão, o zelote. Escolheu outros que viveram sempre no anonimato como Tiago, filho de Alfeu e Tadeu. Chamou até mesmo, Judas Iscariotes, o traidor. Jesus não escolheu esses homens porque eram perfeitos. Jesus investiu neles. Trabalhou com eles. Gastou tempo com eles. Ensinou-os. Corrigiu-os. Amou-os. Depois, revestiu-os com o poder do seu Espírito. Suas vidas não continuaram sendo as mesmas. Eles foram transformados pelo Espírito de Deus para transformarem o mundo. O método de Jesus não mudou...


Texto Retirado de:  http://www.hernandesdiaslopes.com.br/


quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Série Igreja - As Sete Características da Igreja que comete Abuso Espiritual


Texto: Ronald M. Enroth

1) Scripture Twisting (Distorção da Escritura): para defender os abusos usam de doutrinas do tipo "cobertura espiritual", distorcem o sentido bíblico da autoridade e submissão, etc. Encontram justificativas para qualquer coisa. Estes grupos geralmente são fundamentalistas e superficiais em seu conhecimento bíblico. O que o lider ensina é aceito sem muito questionamento e nem é verificado nas Escrituras se as coisas são mesmo assim, ao contrario do bom exemplo dos bereanos que examinavam tudo o que Paulo lhes dizia.


2) Autocratic Leadership (liderança autocrática): discordar do líder é discordar de Deus. É pregado que devemos obedecer ao ditador, digo discipulador, mesmo que este esteja errado. Um dos "bispos" de uma igreja diz que se jogaria na frente de um trem caso o "apóstolo" ordenasse, pois Deus faria um milagre para salvá-lo ou a hora dele tinha chegado. A hierarquia é em forma de pirâmide (às vezes citam o salmo 133 como base), e geralmente bastante rígida. Em muitos casos não é permitido chamar alguém com cargo importante pelo nome, (seria uma desonra) mas sim pelo cargo que ocupa, como por exemplo "pastor Fulano", "bispo X", "apostolo Y", etc. Alguns afirmam crer em "teocracia" e se inspiram nos líderes do Antigo Testamento. Dizem que democracia é do demônio, até no nome.

3) Isolationism (Isolacionismo): o grupo possui um sentimento de superioridade. Acredita que possui a melhor revelação de Deus, a melhor visão, a melhor estratégia. Eu percebi que a relação com outros ministérios se da com o objetivo de divulgar a marca (nome da denominação), para levar avivamento para os outros ou para arranjar publico para eventos. O relacionamento com outros ministérios é desencorajado quando não proibido. Em alguns grupos no louvor são tocadas apenas músicas do próprio ministério.

4) Spiritual Elitism (Elitismo espiritual): é passada a idéia de que quanto maior o nível que uma pessoa se encontra na hierarquia da denominação, mais esta pessoa é espiritual, tem maior intimidade com Deus, conhece mais a Biblia, e até que possui mais poder espiritual (unção). Isso leva à busca por cargos. Quem esta em maior nível pode mandar nos que estão abaixo. Em algumas igrejas o número de discipulos ou de células é indicativo de espiritualidade. Em algumas igrejas existem camisetas para diferenciar aqueles que são discípulos do pastor. Quanto maior o serviço demonstrado à denominação, ou quanto maior a bajulação, mais rápida é a subida na hierarquia.

5) Regimentation of Life (controle da vida): quando os líderes, especialmente em grupos com discipulado, se metem em áreas particulares da vida das pessoas. Controlam com quem podem namorar, se podem ou não ir para a praia, se devem ou não se mudar, roupas que podem vestir, etc. É controlada inclusive a presença nos cultos. Faltar em algum evento pro motivos profissionais ou familiares é um pecado grave. Um pastor, discípulo direto do líder de uma denominação, chegou a oferecer atestados médicos falsos para que as pessoas pudessem participar de um evento, e meu amigo perdeu o emprego por discordar dessa imoralidade.

6) Disallowance of Dissent (rejeição de discordâncias): não existe espaço para o debate teológico. A interpretação seguida é a dos lideres. É praticamente a doutrina da infalibilidade papal. Qualquer critica é sinônimo de rebeldia, insubmissão, etc. Este é considerado um dos pecados mais graves. Outros pecados morais não recebem tal tratamento. Eu mesmo precisei ouvir xingamentos por mais de duas horas por discordar de posicionamentos políticos da denominação na qual congregava. Quem pensa diferente é convidado a se retirar. As denominações publicam as posições oficiais, que são consideradas, obviamente, as mais fiéis ao original. Os dogmas são sagrados.

7) Traumatic Departure (saída traumática): quem se desliga de um grupo destes geralmente sofre com acusações de rebeldia, de falta de visão, egoismo, preguiça, comodismo, etc. Os que permanecem no grupo são instruídos a evitar influências dos rebeldes, que são desmoralizados. Os desligamentos são tratados como uma limpeza que Deus fez, para provar quem é fiel ao sistema. Não compreendem como alguém pode decidir se desligar de algo que consideram ser visão de Deus. Assim, se desligar de um grupo destes é equivalente a se rebelar contra o chamado de Deus. Muitas vezes relacionamentos são cortados e até familias são prejudicadas apenas pelo fato de alguém não querer mais fazer parte do mesmo grupo ditatorial.


Ronald M. Enroth, americano, sociólogo da religião, que escreveu um livro a respeito do abuso espiritual (Churches that abuse), após horas e mais horas de depoimentos de ex-membros da Jesus People USA, um grupo religioso dos EUA.

Esse texto foi retirado de: http://dlgrubba.blogspot.com/

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Série Igreja - Qual é a Igreja que Deus Quer?




Vivemos em um tempo que existem igrejas de vários estilos e modelos, mais qual será o modelo de igreja que Deus quer?
Olhando para o livro de Apocalipse nos capítulos 2 e 3, Deus faz uma análise de sete igrejas da Ásia e relata o modelo e as atitudes de cada uma delas.
Fazendo um estudo sobre o que Deus fala dessas igrejas da pra se ter uma idéia de qual é a igreja que Deus realmente quer. Qual será a igreja que Deus aprovou?
Vou citar nesse estudo apenas três das sete igrejas que já será o suficiente para se ter uma idéia de qual modelo de igreja que mais agrada a Deus.
É bom esclarecer que nesse período haviam mais igrejas nessa região o número de sete igrejas, sugere a idéia de que foram escolhidas sete igrejas devido a suas características como símbolos proféticos, de sete períodos específicos que a igreja cristã viveria futura mente.
Também é bom deixar claro que neste artigo não tenho a intenção de fazer um estudo teológico profundo sobre as sete igrejas, citarei algumas apenas para motivo de comparação ao estilo de algumas igrejas existentes nos dias de hoje.
Estudaremos os estilos de apenas três das sete igrejas: Éfeso, Laodicéia e Filadélfia.


Igreja de  Éfeso:situada na cidade de Éfeso considerara a cidade mais importante da Ásia foi uma das primeiras cidades alcançadas pelo evangelho através de Paulo e João.
Era uma igreja paciente,colocava a "prova" os seus líderes, trabalhava em nome de Deus e não se cansava disse o Senhor. Ap 2:3 
Deus porém tinha algo contra ela:

" Tenho porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor" Ap 2:4 


Quantas igrejas você conhece que existem nos dias de hoje em que deixaram o primeiro amor?
Se é que tiveram esse amor algum dia.
O que mais vemos hoje em dia são igrejas com templos luxuosos e cheio de pessoas vazias.
Igrejas com som profissional, instrumentos de primeira linha e uma adoração superficial que mais exalta ao diabo do que a Deus.

Você conhece alguma igreja assim?


Será que essa é a igreja que Deus quer?

Igreja de Laodicéia: ficava na cidade de Laodicéia, cidade rica grande pólo bancário, produtora de lã têxtil e colírio, isso mesmo colírio, remédio para os olhos.
Porém esta cidade tinha um grande problema com abastecimento de água e precisava pegar água de suas cidades vizínhas Colossos  e Hierápolis.
Colossos tinha uma água fria boa para consumo, enquanto que Hierápolis tinha uma água quente, boa para ser usada nas indústrias têxtis, a água morna não prestava pois não era boa nem para consumo e nem pra ser usada na indústria.
E o que Deus diz da igreja de Laodicéia?

 "Assim, poque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca" Ap 3:16

Laodicéia era uma igreja muito rica, com certeza muitos de seus membros deviam ser bancários, empresários da indústria têxtil e até produtores de remédios(colírio) que dadas as circunstâncias sem o avanço da tecnologia não deveriam haver muitos na época.
Ou seja, era uma igreja rica independente.

"Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu." Ap 3: 17


Riquíssimas, paredes de ouro, púlpitos de marfim, cadeiras de bronze, se vangloriando de quando era comparada a outras igrejas ser a primeira na lista de arrecadação, mais com um evangelho morno e pessoas mais mornas ainda, mais totalmente independentes confiando em suas riquezas "visões e sabedoria".
E onde Deus está nesta igreja?
Concerteza do lado de fora , pois Deus não divide sua glória com ninguém.

"Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo." Ap 3: 20 

Você conhece alguma igreja assim?


Sera que essa é a igeja que Deus quer?

"Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, onde os ladrões não arrombam nem furtam.
Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração." Mt 6: 19 a 21


Igreja de Filadélfia: estabelecida na cidade de Filadélfia, que ficava numa região previlegiada, pois era cercada por cidades importantes.
Não era uma igreja forte mais procurava obedecer a Deus e guardar a palavra.
Tinha suas fraquezas mas era perseverante, mantinha sempre suas portas abertas.

Você conhece alguma igreja assim?


Será que essa é a igreja que Deus quer?


Nos dias de hoje existem várias igrejas como a de Éfeso.
Que trabalha pra Deus,tem paciência, tem posto a "prova" seus "líderes(aqueles que concordam com tudo o que o líder fala, mesmo que não esteja de acordo com a palavra,que são de fácil manipulação e estão na visão ficam se não...) e tem até sofrido pelo nome do Senhor.
Tem realizado várias campanhas, arrecadado alimentos e até ganhado algumas almas.
Mas não se iluda se a sua igreja está assim, pois apenas isso não basta para Deus.
Como Deus disse para igreja de Éfeso que realizava tudo isso e mais algumas coisas...
"tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor".


Também existem hoje várias igrejas como a de Laodicéia.
Enormes, com muito dinheiro em caixa, riquíssimas,que não tem tido falta de nada, com programas em rádios e televisão, isso quando as emissoras de Tv e Rádio não são de propriedade exclusiva da própria igreja.
Igrejas totalmente independentes, cegas e nuas, onde Deus atua apenas como um mero coadjuvante.
Onde Deus está nessa igreja?

"Dou-lhe um conselho: compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar". Ap 3: 18 


O mais difícil nos dias de hoje é encontrarmos uma igreja como a igreja de Filadélfia.
Filadélfia significa Amor fraternal, uma igreja que ame a Deus realmente não importando com os bens materiais que ela possui, e quando possuia algum tipo de bem tudo era dividido com os outros, pois tinham tudo em comum.

"Vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo a sua necessidade" At 2: 45


Uma igreja que reconhece que não é forte por si mesma, obediente a palavra, que mesmo com as dificuldades e perseguições se mantém aberta, que é dependente e reconhece que sem Deus nada pode fazer.

"Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma." Jo 15: 5


Quando realmente entendermos o que é ser uma igreja segundo o coração de Deus nenhuma porta ficará fechada, e aí sim as portas do inferno não prevalecerão.

"Eis que coloquei diante de você uma porta aberta que ninguém pode fechar. Sei que tem pouca força, mas guardou a minha palavra e não negou o meu nome." Ap 3: 8


Você conhece alguma igreja assim?


Essa é a igreja que Deus quer.


Texto Escrito por:
Luís Antonio Ramos













domingo, 10 de janeiro de 2010

Não toqueis no ungido do Senhor!: desmascarando essa falça doutrina.






Por Vera Siqueira

"Não toqueis no ungido do Senhor". Essa é a resposta de nove entre dez crentes que crêem em tudo o que lhe pregam sem serem bereianos, quando confrontados com críticas ou acusações contra pastores, apóstolos (?) e demais líderes eclesiásticos. Não importa se as provas do crime são claras, para esses crentes não nos cabe julgar nem analisar o que a liderança da igreja faz de errado: cabe aos crentes, segundo essa falsa doutrina, agir como Davi em relação à Saul: simplesmente não fazer nada, e esperar que Deus resolva o negócio e faça a justiça. E enquanto nada se faz, esses líderes criminosos continuam roubando, matando e destruindo o rebanho de crentes em suas mãos, e trazendo escândalo para o Evangelho, afastando de vez os não-crentes do afã de conhecerem a Verdade de Cristo.

Mas enfim, Davi realmente disse em várias passagens de 1 Samuel que não se deve tocar no ungido do Senhor. E aí?

Em primeiro lugar, temos que deixar bem claro sobre qual ungido Davi se referia. Ele se referia a Saul, atual rei de Israel, porém já destronado por Deus, que havia ungido Davi em seu lugar. Portanto, a primeira coisa que temos que ter em mente é que não se tratava de qualquer ungido, mas de Saul.

Em segundo lugar, temos que entender essa unção que Saul recebeu. Em 1 Samuel 8, lemos que o povo queria um rei no lugar dos antigos juízes que governavam Israel. Deus não tinha esse desejo, pois o querer um rei era um desejo do povo de que Deus já não reinasse mais sobre eles. Porém Deus resolveu satisfazer Israel, e escolheu Saul como rei.

Em 1 Samuel 10, lemos o profeta Samuel indo ungir Saul como rei:

"Então tomou Samuel um vaso de azeite, e lho derramou sobre a cabeça, e beijou-o, e disse: Porventura não te ungiu o SENHOR por capitão sobre a sua herança? Apartando-te hoje de mim, acharás dois homens junto ao sepulcro de Raquel, no termo de Benjamim, em Zelza, os quais te dirão: Acharam-se as jumentas que foste buscar, e eis que já o teu pai deixou o negócio das jumentas, e anda aflito por causa de vós, dizendo: Que farei eu por meu filho? E quando dali passares mais adiante, e chegares ao carvalho de Tabor, ali te encontrarão três homens, que vão subindo a Deus a Betel; um levando três cabritos, o outro três bolos de pão e o outro um odre de vinho. E te perguntarão como estás, e te darão dois pães, que tomarás das suas mãos. Então chegarás ao outeiro de Deus, onde está a guarnição dos filisteus; e há de ser que, entrando ali na cidade, encontrarás um grupo de profetas que descem do alto, e trazem diante de si saltérios, e tambores, e flautas, e harpas; e eles estarão profetizando. E o Espírito do SENHOR se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e tornar-te-ás um outro homem. E há de ser que, quando estes sinais te vierem, faze o que achar a tua mão, porque Deus é contigo. Tu, porém, descerás antes de mim a Gilgal, e eis que eu descerei a ti, para sacrificar holocaustos, e para oferecer ofertas pacíficas; ali sete dias esperarás, até que eu venha a ti, e te declare o que hás de fazer. Sucedeu, pois, que, virando ele as costas para partir de Samuel, Deus lhe mudou o coração em outro; e todos aqueles sinais aconteceram naquele mesmo dia."
1 Samuel 10.1-9


E Saul ficou cheio do Espírito Santo, e em 1 Samuel 11.15, finalmente Saul é proclamado rei. Porém a unção que Saul recebeu era apenas para reinar, não para ser sacerdote ou líder espiritual do povo. Essa função era para algumas pessoas específicas, como o profeta Samuel. Não cabia a Saul as funções sacerdotais, sendo esse um dos pecados que o fez perder o reinado em Israel:

"E os filisteus se ajuntaram para pelejar contra Israel, trinta mil carros, e seis mil cavaleiros, e povo em multidão como a areia que está à beira do mar; e subiram, e se acamparam em Micmás, ao oriente de Bete-Aven. Vendo, pois, os homens de Israel que estavam em apuros (porque o povo estava angustiado), o povo se escondeu pelas cavernas, e pelos espinhais, e pelos penhascos, e pelas fortificações, e pelas covas. E alguns dos hebreus passaram o Jordão para a terra de Gade e Gileade; e, estando Saul ainda em Gilgal, todo o povo ia atrás dele tremendo. E esperou Saul sete dias, até ao tempo que Samuel determinara; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se dispersava dele. Então disse Saul: Trazei-me aqui um holocausto, e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto. E sucedeu que, acabando ele de oferecer o holocausto, eis que Samuel chegou; e Saul lhe saiu ao encontro, para o saudar. Então disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinhas nos dias aprazados, e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás, eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda à face do SENHOR não orei; e constrangi-me, e ofereci holocausto. Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o SENHOR teu Deus te ordenou; porque agora o SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre; porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o SENHOR, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou."
1 Samuel 13.5-14


O outro pecado de Saul ocorreu em 1 Samuel 15, quando desobedeceu à ordem do Senhor ao não destruir o melhor do rebanho dos amalequitas, com a desculpa de que usaria o rebanho como sacrifício, onde Samuel disse que é melhor obedecer do que sacrificar.
Assim, em 1 Samel 16 lemos o Espírito do Senhor deixando Saul e passando a habitar Davi, o novo rei ungido:

"Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os moços? E disse: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, porquanto não nos assentaremos até que ele venha aqui. Então mandou chamá-lo e fê-lo entrar (e era ruivo e formoso de semblante e de boa presença); e disse o SENHOR: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo. Então Samuel tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia em diante o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi; então Samuel se levantou, e voltou a Ramá. E o Espírito do SENHOR se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do SENHOR."
1 Samuel 16.11-14

Ou seja, Saul deixou de ter o Espírito Santo, mas continuou sendo rei de Israel por vários anos. Nesses anos, o Espírito Santo estava com o novo ungido, Davi, que porém ainda não havia sido reconhecido rei pelo povo. Dessa forma, Davi servia ao rei Saul e foi perseguido por seus exércitos, e aí chegamos à passagem que abriu esse artigo, quando Davi teve real chance de aniquilar Saul, mas não o fez por considerá-lo ungido do Senhor.

Realmente, o que impediu Davi de se levantar contra Saul não foi o poder do Espírito Santo no antigo rei, pois este já o tinha deixado e Saul não passava de um endemoniado. Porém, mesmo endemoniado, Saul continuava sendo rei, e em razão desse título que Davi o poupou. Uma vez ungido rei, sempre rei. Deus tirou Saul do reinado, porém isso só se concretizou com sua morte, não havendo rebelião para que isso acontecesse e Davi tomasse o poder em seu lugar. A unção de rei permaneceu com Saul por toda a sua vida, mas o Espírito de Deus não.

Entendido tudo isso, vamos agora analisar a doutrina do "não toqueis no ungido" nos dias de hoje. Por que ela não é válida?

Como visto, a unção a qual Davi se referia dizia respeito ao direito de reinar sobre Israel, não sobre possuir funções eclesiásticas. As funções de governo do Estado e eclesiásticas eram bem divididas naquele tempo, embora Israel fosse um Estado teocrático. Portanto, a não ser que algum líder de igreja seja também rei nomeado por Deus (olha eu dando idéia para novos títulos, que Deus me perdoe) em sua localidade, nenhum líder religioso atual se enquadra nesse quesito.

Sobre como devemos agir em relação ao líderes religiosos e qualquer cristão, a Bíblia é bastante clara:

"E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus. Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim."
Atos 17.10-11


"Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo."
1 Coríntios 5.9-13


Chega desse engano do "não toqueis no ungido do Senhor", engano esse que tem transformado a igreja em covil de salteadores. O rebanho tem que aprender a buscar na Palavra se o que seus líderes pregam é verdade ou não, tem que aprender a raciocionar, a analisar, a meditar dia e noite na Palavra, mas é isso mesmo que os lobos em pele de cordeiro não querem que aconteça, e por isso acorrentam suas ovelhas em falsas doutrinas que visam cegar e conformar o rebanho à sua própria vontade, não à de Deus. Deus nos enviou Cristo para que fôssemos libertos, mas onde há liberdade se nem ao menos podemos criticar um líder eclesiástico por seus falsos ensinos ou sua má conduta, com a desculpa que de o fulano é "ungido"? O Apóstolo (de verdade) Paulo era bem ungido, disso não há dúvidas, mas nem por isso ficou chateado ao ser confrontado pelo povo de Beréia em seus ensinamentos. Por que os apóstolos (?) e líderes dos dias de hoje ficam melindrados, e até amedrontam suas ovelhas com a promessa de inferno para o "pecado de rebeldia" que seria se levantar contra um "ungido" do Senhor? E por que as ovelhas, que também têm unção (já que recebem o Espírito Santo desde sua conversão), ao contrário dos líderes religiosos, podem e são fortemente exortadas (se seu dízimo for baixo, claro) quando encontradas em erro?

Isso é estelionato gospel, e dos bons. Graças à essa mentira (a própósito, quem é o pai da mentira mesmo?) vemos igrejas destruídas por pertencerem (a palavra é essa mesma) a líderes criminosos, que adulteram as Escrituras a seu bel-prazer e agem como se a justiça de Deus e dos homens não valesse para eles. Enquanto isso, às ovelhas cabe apenas se conformar, "Deus quer assim", "quem faz a justiça é Ele", "só nos cabe orar".

Povo de Deus, vamos abrir os olhos! Temos que orar, a justiça é de Deus, mas Ele usa homens e mulheres para que Sua justiça seja feita nessa terra! Se Lutero pensasse assim, ainda hoje estaríamos comprando indulgências (se bem que essa prática perniciosa continua ocorrendo nos dias de hoje, na forma de lenços suados, rosa ungida, sabonete ungido, etc). Como povo de Deus, temos que ser carvalhos de justiça principalmente em nosso meio, tirando os lobos que querem devorar nossas ovelhas! Se não o fizermos, não sobrará ovelha nenhuma no final da história, pois todas serão enganadas...

O "não toqueis no ungido do Senhor" é uma desculpa muito da mal feita para líderes que têm algo a esconder. Quando um líder pregar isso para você, fique ainda mais atento, pois quem está na luz não tem medo de ser julgado, afinal nada se encontrará que o desabone; ao contrário, quem está em trevas não quer que o candeeiro seja colocado em cima da mesa e ilumine o ambiente, pois isso trará à luz toda a podridão escondida em nome de Deus.

O texto foi publicado e retirado de: http://www.pulpitocristao.com/